Empenas Cegas I a IV. Ainda Loos (da série Condomínios), 2018
Dimenção / Dimension
variavel
Categoria / Category
painel
Material / Materials
Mármore e aço inox / Marble and stailess steel

Aqui, Tavares continua o diáogo com o arquiteto Adolf Loos, iniciado na exposição Atlântica Moderna: Puros e Negros, realizada em 2014 no Museu Vale.  Em 1927, o arquiteto modernista checo Adolf Loos (1870 –1933) desenvolveu um projeto nunca realizado para a residência da cantora e bailarina afro-americana Josephine Baker (1906–1975). O projeto partia de uma reforma rigorosa sobre duas casas existentes em uma esquina da Avenue Bugeaud, em Paris. A residência, que seria adornada em seu exterior por listras horizontais de mármore branco e preto, teria janelas fundas e pequenas para oferecer privacidade a sua ilustre moradora e para, como apreciava Loos, manter a atenção no interior da construção. No centro do prédio, estaria uma piscina que rasgaria dois andares da edificação, tendo vitrines em seu andar inferior propiciando aos convidados da artista observar seu corpo rompendo as águas. Em Empenas Cegas, Ana Maria Tavares cria módulos angulados em mármore Striatto Olympo, de procedência Bulgara, cuja matéria sedimentada faz lembrar as listras da fachada da casa Baker. Os polígonos de Empena Cega são como múltiplas visões da fachada do projeto de Loos. As formas também podem ser vistas como positivos moldados a partir das estreitas janelas da residência, que nunca foram pensadas para dar uma visão ao longe, mas sim, irromper a visão que procurasse escapar do ambiente ilibado de Loos. 

Here, Tavares continues to dialogue with the architect Adolf Loos - a dialogue she initiated in the exhibition Atlântica Moderna: Puros e Negros, held in 2014 at the Vale Museum in Vitoria, ES, Brazil. In 1927, the Czech modernist architect Adolf Loos (1870-1933) developed a project never realized for the residence of the African-American singer and dancer Josephine Baker (1906 -1975). The project was based on a strict renovation of two existing houses on a corner of Avenue Bugeaud in Paris. The residence would show an exterior with horizontal stripes of white and black marble, with small, deep windows to offer privacy to its illustrious inhabitant and, as Loos favored, to keep the attention inside the building. In the center of the building there would be a swimming pool that would cut through two stories of the construction, having vitrines on its lower floor allowing the guests of the artist to watch her body break the waters. In Empenas Cegas, Tavares creates angled modules using Striatto Olympo marble of Bulgarian origin. The sedimented layers in this kind of marble resemble the stripes of the façade of Loos’ Baker house. The polygons of Empenas Cegas are like multiple views of the façade of Loos’ project. The shapes can also be seen as positives shaped from the narrow windows of the residence which were never meant to offer a view out, but rather to break the vision that sought to escape Loos's unblemished surroundings.

Foto de Edouard Fraipoint


Empenas Cegas I. Ainda Loos (da série Condomínios). Foto de Pedro Perez Machado


Empenas Cegas I. Ainda Loos (da série Condomínios). Foto de Pedro Perez Machado


Empenas Cegas II. Ainda Loos (da série Condomínios). Foto de Pedro Perez Machado


Empenas Cegas II. Ainda Loos (da série Condomínios). Foto de Pedro Perez Machado


Empenas Cegas III. Ainda Loos (da série Condomínios). Foto de Pedro Perez Machado


Empenas Cegas III. Ainda Loos (da série Condomínios). Foto de Pedro Perez Machado


Empenas Cegas IV. Ainda Loos (da série Condomínios). Foto de Pedro Perez Machado


Foto de Pedro Perez Machado